segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Eu mantarei.

Não matarei, não montarei nem manterei
aquela coisa. Ficarei estático.
Desligarei-me e, no automático
deixarei tudo frouxamente correr.

Não mudarei, não mutarei nem migrarei
daquela coisa. Fumei um asmático
em seu quarto macabramente tático.
Tuberculose me falou: "Oi, meu rei!

A rede de tubérculos artísticos
me deixa bem! É lá que eu descanso
e canso os proprietários ricos

em ares revoltos. O pulmão, amanso.
Nem ar nem mar sangram. Somente Chico
menstrua no pulmão do corno manso.